sábado, 29 de setembro de 2012

Melancolia

 Quando eu  penso em tudo que passamos, em todas as coisas que vivemos, em todas as coisas que você me disse... Quando eu lembro que foi tudo mentira, que foi tudo falsidade, que foi tudo uma grande ilusão, meu peito doí de uma maneira que eu nunca pensei que poderia doer.
 Minha melancolia só aumenta, não é por saudade, não é por amor, porque tudo isso já passou. Mas sim por desapontamento, por confiança, por amizade, por tudo que eu achei que nós fossemos, que nós poderíamos ser... Mas você me provou que você é igual a todos, que você é sim um covarde e mentiroso!
 Eu não desisti do amor, sei que ele existe, sei que nesse mundo tão monstruoso ainda existem pessoas que amam. E um dia eu vou encontrar quem me ame de verdade... Sei também que nada é por acaso e que você entrou na minha vida para  abrir meus olhos e me mostrar a realidade, a triste realidade da vida.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

É possível amar alguém mais que a si próprio?

 Sei que meu pensamento é arcaico, e que sou o drama em carne e osso, mas tive medo, muito medo de continuar sofrendo. Então fui tola e hesitei em ter tal atitude, que hoje me deprime. Não tinha a plena noção de que minha dor e sofrimento poderiam aumentar, e fui medrosa e covarde,  agora me deparo com esse abismo de dor que está em meu peito. Agora vejo o que é o amor, que todo aquele sentimento não era ilusão...
 Estou mais solta, acho que mais "moderna", estou tentando ter outras relações. Um é mais velho, atraente e inteligente; outro é poético, tem a minha idade e é romântico; já o outro tem a idade ideal, é engraçado e animado. Eu posso ter todos eles e muitos outros, mas nenhum me terá como você me teve. Eles podem ser lindos, atraentes e ter as melhores qualidades do mundo, mas nenhum se compara a você, porque você tem o que nenhum deles tem: meu coração.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Bordô

 Talvez esteja doendo mais para mim, para mim que já estava sentindo dor, para mim que fui obrigada a dizer a deus ao amor da minha vida. Você deixava minha vida colorida, mas aos poucos foi transformando ela em bordô, e assim como aos poucos ela ficou bordô, aos poucos vou sentindo menos dor, está amenizando devagarzinho,  de pouquinho em pouquinho vou me curando da angústia de te deixar.
 Enquanto a dor vai embora, chega coragem, chega  maturidade, chega decisão. Minha dor me ensinou a viver sem você, minha dor me ensinou a viver. Sempre fui dramática, sempre fui intensa, sempre fui emotiva, mas acima de tudo, eu sempre fui mulher. E toda mulher, seja ela como for, gosta de ser amada, paparica, lembrada. E isso faltou...

domingo, 23 de setembro de 2012

Dessa vez é diferente...

Da primeira vez eu fiquei sentada naquela cadeira no meu solitário e obscuro quarto, a cadeira que tinha acabado de me dar a pior noticia do mundo, eu chorei, gritei, sofri, senti saudade, desabei.  Mas agora é diferente, dessa vez estou mais leve, aliviada,  mais forte, mais madura, mais mulher. Isso não quer dizer que eu não vá sentir saudade, pelo contrário, eu sempre vou me lembrar de você, mas quero ter boas lembranças suas. É difícil dizer adeus, mas o passado já foi, temos que continuar seguindo nosso caminho com sonhos em nossas mãos e lembranças na bagagem. Quero abrir minha mala e ver todas as lembranças dos momentos maravilhosos que você me proporcionou, e  sou muito grata por isso.  Daqui pra frente não podemos mais construir caminhos juntos, agora nós faremos separados o de cada um, porém felizes por tudo o que nos resta, por tudo que tivemos e por tudo que ainda teremos, juntos ou separados.
 A vida é muito curta para perdermos tempo sofrendo. Não vale a pena sofrer por ninguém, por mais que você ame profundamente não sofra, porque pode ser o amor da sua vida, mas ele não vai dar valor ao seu sofrimento. As vezes, a vida faz escolhas por você, ela não se importa com a sua opinião e faz a escolha que você tanto tinha medo de fazer, faz a escolha certa, a escolha que, de certa forma, esta fazendo tudo melhorar. Pode ter sido a escolha dolorosa, mas talvez seria mais doloroso  permanecer na indecisão.

sábado, 22 de setembro de 2012

Sinto Muito...

Sinto muito por não precisar mais de você.
Sinto muito por não ter mais abstinência de você.
Sinto muito por meus sentimentos terem mudado.
Sinto muito por estar me sentindo livre, por ter me libertado de você.
Sinto muito por ter agitado demais meu mundo, e tê-lo feito mudar.
Sinto muito por ter virado a página em que você estava.
Sinto muito por ter perdido o controle, e ter feito coisa de que não me arrependo.
Sinto muito por ter enlouquecido.
Sinto muito por estar sendo impulsiva e dramática.
Sinto muito por perceber que não posso perder nem mais um minuto com você.
Sinto muito por não querer mais você na minha vida... 



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

All we need is love

 Minhas palavras não são somente minhas, são nossas. Tudo isso é nosso. Nada nos pertence, além do amor. Nós não precisamos de mais nada nessa tão injusta vida, a não ser dele, a não ser do amor.
 Quando duas almas se amam, elas vão estar eternamente juntas, se não realmente, estarão juntas na poesia, no teatro, na arte, em algum lugar no mundo. O amor verdadeiro é eterno, por mais que não demonstrado ele ficará dentro de você, coçando seu peito como se um milhão de formigas tivessem invadido seu corpo. O amor não acaba nunca, nem mesmo o tempo, nem mesmo a vida podem destruir tal sentimento tão precioso.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Estrelinha

 Eu irei me recordar do nosso amor quando ele virar uma estrelinha. As estrelas representam todos os amores reais, os amores verdadeiros. Aqueles que vencem tudo e todos para estarem juntos. Nós também seremos uma, né?
 Nós seremos uma estrelinha bem bonita. Ela irá estampar o céu de um outro amor, que olha pela janela a nossa constelação. Observando o céu estrelado que um dia ele terá com sua amada.
 Os amores que vão para o céu são aqueles que estão sempre coladinhos, e aos poucos vão formando as pontas da estrela. Mas sempre coladinho! Mesmo separados, estão sempre bem juntinhos. Porque amar é nunca estar sozinho, mesmo estando.




domingo, 16 de setembro de 2012

Qualquer coisa

 Ei! Vem cá, não vai embora! Fica comigo! Posso ir com você?
 Eu viro uma conchinha para você me carregar no bolso.
 Eu viro uma estrela para enfeitar o céu que você olha pela janela, pensando nela.
 Eu me transformo em docinho para você me desejar.
 Eu posso ser um boné, para te proteger do sol.
 Posso ser o braço da sua cadeira. A caneta que escreve um belo recado para a garota que você está apaixonado. Também posso ser a bicicleta do carinha que vai na casa dela entregar as flores que você encomendou.
 Posso ser a lista de coisas que você gostaria de saber sobre ela. A vela do jantar que vocês terão no próximo sábado.
 Posso ser o cobertor que te aquece nas noites de frio.
 Posso ser a cola que você queria ter na prova da sua matéria mais difícil.
 Eu posso ser o que você quiser, menos nada na sua vida.


sábado, 15 de setembro de 2012

Amor e ódio

 Não devo questionar o motivo de te amar tanto, e ao mesmo tempo, desejar que você me deixe em paz e vá embora de vez da minha vida. Embora seja tentador, e as circunstancias sejam suficientes para tal atitude. Eu não devo. Não devo questionar porque você faz meu dia nascer diferente. Não devo questionar porque eu queria estar todos os dias com você. Não devo questionar porque vivo sonhando acordada com o dia em que você se dará conta de que é o único que pode me fazer feliz. Também não devo perguntar o porquê de ao mesmo tempo te amar da forma mais intensa possível, eu desejo que encontre seu caminho e me deixe trilhar o meu. Ao mesmo tempo que te amo, odeio. Odeio seu jeito imaturo, sua estupidez, seu descaso.
 Eu não devo, não devo questionar. Eu tenho que aceitar. Tenho que deixar o ar entrar em meu pulmão. Tenho que continuar respirando. Tenho, simplesmente, que viver. Porque eu sei que não consigo  sem você, sem o seu jeito, seu beijo... Sem o seu louco amor que me mata, mas também me faz viver.
 Eu prefiro sofrer com, do que sem você. Porque desse modo, sofremos juntinhos com o nosso amor confuso, porém, amor.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

A falta de você

 Você não é mais o mesmo, não adianta  a gente se enganar.
 Você costumava me fazer bem, e eu costumava gostar .
 Você costumava me fazer sorrir, agora você só me faz chorar.
 Você agora só me dá arrepios, mas não são mais aqueles arrepios de quando você ia me  beijar.
 Você agora me dá arrepios pelo egoísmo, pelo rancor e por me amedrontar.
 Você não é mais quem era, você se afogou em um mar desconhecido. E eu não posso te salvar.
 Você não costumava ligar para a minha forma estranha de ser, você apenas   costumava me amar.
 Você dizia coisas loucas que não faziam sentido, e  eu costumava gostar.
 Você gostava de estar comigo, agora você gosta de me deixar.
 Você ainda me faz chorar, mas eu não vou me abalar.
 Você foi possuído pela mentira e pelo egoísmo. E isso começou a  desgastar.
 Você me trouxe à vida, mas me afogou de novo na mentira e me deixou sem ar.
 Você não é mais você, e está começando a faltar.


domingo, 2 de setembro de 2012

As dores do amor

 Não existem meios impossíveis para o amor. Portanto, se você ama realmente não o deixe de lado.
 Peço-lhe que não me de desculpas, por mais dolorosa que seja a verdade. Prefiro sentir a dor do vazio que a soberba da mentira.
 O amor é algo tão intenso que transborda, é impossível não demonstra-lo quando se sente. Mas se é assim, porque você não demonstra o puro e doce amor que diz sentir por mim?
 O amor enfeitiça o corpo e a alma, de uma forma perigosa. Seu amor foi tão profundo que quase atravessou meu peito rasgando e levando tudo que tinha pelo caminho. Porém, minha audácia foi maior, minha ousadia de querer viver, com ou sem você, venceu o perigo do teu amor degenerado. Então vi que nunca mais poderia dizer "sim" a você. Nesse momento meu coração surtou e ardeu como daquela vez em que você o machucou. E realmente estava machucado. Quando me dei conta que meu amor não era mais aquilo que achava que fosse, quando soube que o "sim" que um dia juramos dizer juntos nunca mais seria dito. Ele realmente doeu.