segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Bordô

 Talvez esteja doendo mais para mim, para mim que já estava sentindo dor, para mim que fui obrigada a dizer a deus ao amor da minha vida. Você deixava minha vida colorida, mas aos poucos foi transformando ela em bordô, e assim como aos poucos ela ficou bordô, aos poucos vou sentindo menos dor, está amenizando devagarzinho,  de pouquinho em pouquinho vou me curando da angústia de te deixar.
 Enquanto a dor vai embora, chega coragem, chega  maturidade, chega decisão. Minha dor me ensinou a viver sem você, minha dor me ensinou a viver. Sempre fui dramática, sempre fui intensa, sempre fui emotiva, mas acima de tudo, eu sempre fui mulher. E toda mulher, seja ela como for, gosta de ser amada, paparica, lembrada. E isso faltou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário