segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Amor doentio

 Entre a bebida e a sutileza do toque dele eu sinto sua falta. Onde está você, se não aqui? Seu estranho jeito de me amar torna meu amor doentio, de forma que você me mastiga e me cospe e eu caio aos seus pés. É doloroso, mas na hora que você me deixa, eu peço que as coisas ruins voltem para que eu poça ter as boas de novo.
 Me sinto prestes a desabar, você torna tudo mais confuso dentro de mim. Eu tento me distrair e te esquecer, mas dentro da minha cabeça há uma guerra que parece não ter fim. Você me dá esperança, mas não percebe que isso só aumenta minha dor. É difícil amar alguém que só te esnoba e trata mal. Me chamam de maluca e até dizem que sinto prazer em sofrer, mas mau sabem eles que quando eu te vejo tudo isso morre, e eu me esqueço dessa doença que tenho por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário