domingo, 2 de dezembro de 2012

Cadê você?

 As vezes eu me sinto tão sozinha, tão amedrontada.... Meu medo é de amar, amar e não ser amada. Medo de me doar, me entregar e sofrer, sofrer mais e mais. Ser pisada, maltratada, jogada em um canto como um saco de lixo.
 Ninguém entende minha dor, ninguém compreende meu sofrimento. Choro pelo que perdi e pelo que tenho medo de perder. As ofensas do mundo me entristecem, a falta de paz, de amor, de carinho. Sinto pena de todos, sinto pena de mim.
 Não posso te prender em meus braços, não posso fazer de você, meu amor. Que motivos mais preciso dar? Existe dor maior que a perda? A falta do amor, das ligações inesperadas, das palavras sinceras, do carinho. Me pego lhe procurando cheia de saudade, lhe procuro nos meus sonhos, nos meus pensamentos. Procuro sue beijo e seu carinho em outro, mas nada se compara a você. Lhe procuro até no céu, fico encarando a lua na esperança de ver seus olhos, seus olhos cheios de amor, que quando se encontrava com os meus brilhavam de alegria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário